Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cozinha de Sentidos

Dom | 22.12.19

Creme de cogumelos

Gualter Rainha

IMG_20191221_130406_263.jpg

IMG_20191221_085241_950.jpg

Esta receita fez parte da seleção das receitas do workshop vegetariano deste ano, 2019, e faço gosto em partilhar com vocês.

Eu adoro cogumelos, e quis que esta receita fosse perfeita! Aos poucos fui combinando ingredientes, até chegar a esta maravilha. É uma receita que fica bem em qualquer mesa festiva, e que vai alegrar o estomago e corações dos que mais apreciam cremes reconfortantes, ou cogumelos. Vamos à receita! 

Desejo-vos umas boas festas em familia, com bons cozinhados, claro! 

Ingredientes

  • 750 g de cogumelos laminados
  • 100 g de cogumelos Shimeji (opcional)
  • 3 C. de sopa de manteiga
  • 1 C. de sopa de azeite
  • 1 cebola picada miudinho
  • 4 dentes de alho picados
  • 1 a 2 C. de chá de sal
  • 3 C. de sopa de tomilho picado (ou salsa)
  • 125 ml de vinho branco ou tinto (seco)
  •  6 C. sopa de farinha de trigo (ou 4 amido de milho)
  • 2 C. de chá de sumo de limão fresco
  • 1000 ml de água
  • 2 cubos de caldo  vegetal vegano sem glutomato 
  • 200 ml de natas vegetais
  • Pitada de pimenta preta
  • Pimenta rosa moida na altura de servir (opcional)
  • Piripiri fresco na altura de servir (opcional)

Instruções

  1. Aqueça a manteiga e o óleo numa panela grande até derreter. Refogue a cebola durante 3
    minutos, até ficar translucida. Junte o alho e refogue cerca de 1 minuto.
  2. Adicione os cogumelos, junto com 2 colheres de chá de tomilho, cozinhe por 5 minutos.
    Despeje o vinho e deixe cozinhar mais 3 minutos.
  3. Adicione a farinha, misture bem e cozinhe levemente. Adicione a água, misture
    novamente e deixe ferver. Reduza o lume para médio-baixo. tempere com sal, pimenta e
    junte os 2 cubos de caldo de legumes sem glutamato.
  4. Cubra e deixe ferver por 10 a 15 minutos, mexendo ocasionalmente, até engrossar.
  5. Reduza o lume, misture as natas vegetais e deixe subir a temperatura levemente, para
    aquecer, sem ferver. Retifique de sal.
  6. Misture o rstante tomilho. Sirva quente, com a pimenta rosa e o piripiri caso queira.

IMG_20191220_221319_810.jpg

 

 

 

Qui | 19.12.19

Pudim de leite creme vegano para o Natal

Gualter Rainha

IMG_3030.jpg

IMG_3046.jpg

 

Ando eu a partilhar receitas para o Natal, quadra festiva que gosto em especial. Este ano passou a correr.

Este pudim, é inspirado numa das receitas que tenho do leite creme vegetal, mas com alguns ingredientes diferentes e confecionado igualmente de diferente forma. 

Podemos fazer um lindo e saboroso pudim, sem o uso de derivados de animais, neste caso os ovos, e continua igualmente saboroso e agradável em textura.

Aposte numa mesa de Natal vegetariana.

Boas festas. 

Ingredientes (forma nº 20)

Para a calda

  • 125 g de açúcar para a calda
  • 50 ml de água para a calda

Para o pudim

  • 800 ml de leite de coco (de lata)
  • 3 colheres de sopa generosas de manteiga vegetal
  • 800 ml de bebida vegetal
  • 250 g de açúcar
  • Casca de meio limão
  • 4 paus de canela
  • 1 colher de sobremesa de extrato a baunilha
  • 1 colher de sobremesa de curcuma
  • 10 colheres de sopa de amido de milho
  • 2 papo secos duros/ carcaças, triturados (opcional)
  • Pitada de sal

Decorar

  • Açúcar de confeiteiro
  • cerejas frescas ou cristalizadas
  • Tomate capucho/physalis

Instruções

  1. Comece por preparar a calda. Leve os ingredientes ao lume, até formar um caramelo. Depois de ter o ponto desejado, verta-o numa forma para a caramelizar. 
  2. Num tacho junte o leite de coco com o açúcar, a curcuma, a manteiga, a essência de baunilha e a pitada de sal, e leve ao lume até derreter a manteiga. Neste processo adicione também o pau de canela e a casca de limão.
  3. Dissolva o amido de milho na bebida vegetal, e depois de homogêneo junte-o ao leite de coco que está ao lume. Volte a mexer muito bem, e sem parar, de forma a incorporar tudo e não grudar no fundo.
  4. Logo que o molho engrosse o creme e esteja a ferver baixe o lume e junte o pão triturado. Envolva, e depois desligue o lume. Remova os paus de canela e a casca do limão. Caso não queira adicionar o pão, passe este passo. 
  5. Verta o creme na forma que foi previamente untada de caramelo, e tape-a. 
  6. Depois de pronto deixe arrefecer, e leve ao frigorifico pelo menos 3 horas antes de desenformar.

Desenforme e decore a seu gosto com os ingredientes sugestivos que apontei. 

80559917_2632953430134331_3166273946723024896_n.jp

Pode fazer doses individuais e servir no prato, como pode ver na foto.

79683969_2437154389932663_5835899341583155200_o (1

Qui | 05.12.19

Pão de Deus 100 % vegetal

Gualter Rainha

IMG_20180923_105134_704.jpg

IMG_20180922_200419_163.jpg

Confesso que das receitas de pastelaria Portuguesa, esta seja talvez a que mais gosto. Já tinha comido nos Açores, mas um dia ao viajar até Lisboa, comprei alguns na Padaria Portuguesa e ... Bem! Foi um daqueles momentos gustativos, de comer de olhos fechados. Fofinhos, suculentos, com uma crosta húmida e cheia de coco, e não demasiados cozidos. Tudo o que eu adoro.

Como vegetariano estrito alguns anitos, decidi então recriar a receita para 100% vegetal, de forma a matar as saudades, e por suas vez, poder partilhar a receita para que a possam fazer. 

Bons preparativos, espero que aprovem! 

Ingredientes

  • ½ kg de farinha de trigo sem fermento
  • 100 g de açúcar
  • 100 g de manteiga vegetal
  • 2 C. sopa de vinagre de cidra
  • 2 C. café de bicarbonato de sódio
  • 1 C. café de extrato ou essência de baunilha
  • 180 ml de bebida de arroz morna
  • 7 gr de fermento de padeiro (seco)
  • 1 banana bem madura
  • Açúcar de pasteleiro para

Creme de coco

  • 300 ml de leite de coco
  • 1 colher de café de essência ou extrato de baunilha
  • 100 g de coco ralado
  • 100 g de açúcar
  • Pitada de curcuma em pó (açafrão da India)
  • 2 C. sopa de amido de milho

Instruções

  1. Comece por aquecer levemente a bebida vegetal. Após estar morna, adicione a manteiga, e o fermento, e deixe repousar 10 minutos para que derreta a manteiga e ative a fermentação. Peneira a farinha também e reserve-a.
  2. Com a ajuda de um garfo ou triturador, converta a banana em puré. Este puré será um dos ingredientes fundamentais para dar liga à massa. Aproveite e peneira a farinha para que fique mais leve.
  3. Junte a banana à bebida vegetal, e envolva bem. Gradualmente junte a farinha à mistura de líquidos com uma colher. Depois de envolvidos, junte o vinagre, e o bicarbonato. Volte a envolver até que fique totalmente homogéneo.
  4. Quando a massa começar a apresentar resistência, transfira a massa para uma superfície com farinha e amasse-a até obter uma massa elástica e lisa. Coloque a massa no alguidar e deixe levedar até ao dobro do tamanho inicial. Cerca de 40 a 50 minutos.
  5. Verta a massa de volta para a uma superfície com farinha, e corte em 10 pedaços iguais, e dê o formato de bolinha. Puxe as extremidades para o centro até formarem bolinhas, transfira para um tabuleiro com papel vegetal, e cubra com um guardanapo molhado para que não fiquem coladas nele.
  6. Aguarde que as bolinhas voltem a levedar para o dobro do tamanho, para que fiquem bem fofinhas.

Enquanto isto prepare a cobertura de coco

  1. Basta juntar todos os ingredientes, e os levar ao lume até que o creme engrosse e fique amarelado, devido à curcuma adicionada.

A terminar

  1. Pré-aqueça o forno a 180 °C, e distribua o recheio em cima de todos os pães (que, entretanto, levedaram) antes de irem ao forno.
  2. Leve-os a cozer no forno pré-aquecido durante 20 a 30 minutos, conforme goste dos pães mais branquinhos ou tostados. Deixe-os arrefecer e polvilhe com o açúcar de pasteleiro.

A minha dica é que cubram os pães com papel vegetal ou de alumino durante a cozedura para que se mantenham bem clarinhos e húmidos.

Para quem gosta dos pães mais cozidos e tostadinhos, basta cozê-los sem o papel a cobrir.

IMG_20191205_091823_051.jpg

 

Seg | 02.12.19

Pão caseiro regional

Gualter Rainha

78288645_2375855796001076_6381831917318176768_n.jp

76921243_2387023554743141_1378780198182322176_n.jp

Pão quentinho, quem não gosta?

É das memórias de infância mais presentes que tenho. Lá em casa a minha mãe cozia pão imensas vezes, e ainda o faz hoje em dia. Por sua vez, a minha avó paterna, também tinha esse costume enriquecedor.

Adoro a partilha. Sempre que se coze pão, por hábito oferece-se um pãozinho quente ou aos vizinhos, ou à tia, ou à irmã. Há sempre alegria envolvente, e por sua vez satisfação.

A comida é simplesmente fantástica, tem muito de amor à mistura.

Relativamente ao fermento, podem usar a levedura. Contudo o fermento acaba por ser um pouco mais prático, dado que por vezes é difícil todos terem acesso à levedura.

Uma nota ao açúcar. Depende também do gosto de cada um. Há até quem coloque um pouquito mais, por gostar do pão ligeiramente mais adocicado com o leve “azedo” da fermentação. Mas para mim, está muito bem assim.

Ingredientes -  3 pães

  • 750 ml de água morna
  • 2 C. Sopa de açúcar
  • 1 C. Sopa de Sal
  • 2 C. Sopa de fermento de padeiro seco
  • 1 kg de farinha de trigo sem fermento
  • Farinha de milho para tender o pão

Instruções

  1. Comece por juntar a água com o sal, o açúcar e o fermento. Misture muito bem e deixe repousar 10 minutos, para que o fermento ative e inicie a fermentação.
  2. Após esse período, junte-lhe a farinha de trigo e amasse bem, até que a massa fique brilhante e elástica. Antes de cobrir o alguidar com um pano, puxe a massa nas suas laterais para o centro em toda a sua volta. Polvilhe com farinha e cubra o alguidar. Deixe a massa descansar cerca de 30 minutos, para levedar.
  3. Após os primeiros 30 minutos a levedar, dê de mão à massa. Puxe das laterais para o centro, em toda a sua volta. Repita até que a massa ganhe alguma tensão. Volte a cobrir e deixe-a levedar até que dobre de tamanho.
  4. Polvilhe a bancada com farinha de milho, e tenda os seus pães. Divida a massa em 3 partes iguais e faça uma bola com cada pedaço de massa. Pressione a massa contra a mesa para que massa do pão fique ligeiramente amassado.
  5. Puxe a massa da extremidade para o centro e depois volte a dar mais uma volta, como vê no vídeo. Com a mão, no sentido longitudinal, marque a massa em 3 partes iguais e enrole a massa sobre essas dobras. Polvilhe bem com a farinha de milho.

  1. Polvilhe os 3 alguidares pequenos com farinha de milho, e coloque o pão tendido com a parte lisa virada para cima. Repita com os três pães, e deixe que fermentem até que dobrem de tamanho.
  2. Quando o pão estiver quase com o dobro do tamanho acenda o seu forno. Coloque a lenha no interior e deixe que aqueça. Vai reparar que as laterais do forno ficarão brancas. É sinal que está bem quente. Após apagar o lume, e remover as brasas do interior do forno com o rodo, passe o borralho com a água, como se fazia antigamente, para limpar o forno e baixar um pouco a temperatura, de forma a evitar que o pão queime, invés de cozer devagar.
  3. O tempo estimado de cozedura é de 40 minutos sensivelmente. Para isso basta virar o pão cru numa pá e introduzir no interior do forno. Os pães deverão ficar bem douradinhos, e fofos.
  4. Para fornos a gás, aqueça o forno a 200 °C, e coza o pão por cerca de 40 a 50 minutos, ou até estarem douradinhos.

76990933_734858267017302_5241323297693499392_n (1)

76953562_472679083374635_1661331442157748224_n (1)

78071538_567075574086847_2236112896608174080_n.jpg