Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cozinha de Sentidos

Qua | 29.01.20

Pão dourado de farinha teff

Gualter Rainha

Últimamente ando bastante curioso com a confeção de pães, e como tinha a farinha de teff à mão, decidi arriscar nesta receita. 

A farinha de teff, é bastante nutritiva e proteíca, então juntei o útil ao agradável.

O resultado, foi um maravilhoso pão, que se assemelha ao pão de milho, mas bem mais nutritivo.

Relativamente à farinha de teff, conseguem em lojas de produtos naturais onde vendam produtos da Diese.  

Aqui nos Açores encontro fácilmente no Continente, na zona dedicada aos produtos naturais, da Area Viva. 

IMG_20200116_173129_574.jpg

IMG_20200129_112839_613.jpg

Espero que gostem da sugestão. 

Ingredientes

  • 200 de farinha de Teff
  • 130 g de sementes de girassol trituradas (tipo farinha)
  • 120 g de polvilho doce ou araruta
  • 2 C. de sopa de farinha de linhaça
  • 1 colher de sopa de curcuma em pó
  • Pitada de pimenta preta
  • 2 c. sopa de óleo ou azeite
  • 1 C. chá de goma de xantana (obrigatório)
  • 1 C. chá de sal
  • 11 g de fermento seco biológico (sem glúten)
  • Aproximadamente 320 ml de água morna

Instruções

  1. Misture todos os ingredientes num alguidar e junte a água morna aos poucos. Basta envolver bem, até conseguir uma massa grossa e pegajosa. Tenha em atenção, que deve de usar o polvilho doce ou a goma de xantana, para conseguir dar “liga” à massa do pão.
  2. Prepare um tacho de ferro fundido ou outro tipo, para colocar o pão a levedar, e posteriormente o cozer. Para isso coloque uma folha de papel vegetal a forrar.
  3. Com as mãos molhadas, dê um formato circular à massa, e coloque-a no interior do tacho. Deixe que cresça, duplicando de tamanho. Vai ver que a massa começará a rachar, como as broas.
  4. Pré aqueça o forno a 200 ºC durante 10 minutos, e leve o pão a cozer por 20 minutos com o tacho tapado. Depois dos 20 minutos, retire a tampa do tacho e deixe que termine de cozer outros 20 minutos, até que o pão ganhe cor.
  5. Retire do forno, e deixe que arrefeça por completo antes de o cortar.

IMG_20200129_112717_772.jpg

 

Seg | 20.01.20

Pão de batata doce roxa e alfarroba

Gualter Rainha

IMG_20200112_130136_642.jpg

IMG_3585.jpg

IMG_20200120_184033_208.jpg

Quem é que não gosta de um pãozinho quente, quase que acabado de sair do forno? E naqueles dias mais frios então! bem, bem...

O cheiro que a cozinha ganha e simplesmente maravilhoso, e o cheiro a alfarroba é o que mais se faz sentir. 

Relativamente à receita, o tacho mais indicado para o cozerem será o de ferro fundido, mas caso não tenham, façam em cerâmica ou em inox. 

Ingredientes

  • 400 g de farinha de trigo
  • 300 ml de água tépida
    150 g de batata doce roxa (purple) assada
  • 3 c. sopa de farinha de alfarroba
  • 1 c. chá d sal fino
  • Cerca de 7 gramas de fermento seco de padeiro

Instruções

  1. Inicialmente começamos por assar a batata doce no forno. Levará sensivelmente 30 minutos no forno a 180 ºC dependendo do tamanho das batatas.
  2. Numa tigela pequena, junte o fermento com 100 ml de água tépida com cerca de uma colher de sopa de farinha. Misture bem, e deixe repousar 10 minutos. Este processo vai ativar p fermento.
  3. Numa tigela maior, junte as farinhas o sal e a restante água tépida a rondar os 40 º C (200 ml). Junte também a batata doce assada já desfeita sem a casca, e amasse tudo, adicionando gradualmente os restantes 100 ml de água com o fermento.
  4. Deve amassar a massa, até que esta ganhe elasticidade. Aconselho que o faça no mínimo de 10 minutos, ou 20 que seria o ideal, caso consiga. Enfarinhe a bancada para fazer isto.
  5. Cubra o fundo de uma tigela com farinha, dê um formato redondo à massa, e deixe que a massa repouse na tigela, num local ameno durante 2 horas, ou até que a massa duplique de volume. Quando a massa tiver aumentado, pré-aqueça o forno a 220ºC,
  6. Com algum cuidado transfira a massa com a parte de baixo para cima, para uma panela de ferro fundido, ou de cerâmica, ou inox, com o seu fundo coberto com papel vegetal. Dê uma corte em cima do pão com o desenho de uma cruz, tape o tacho e leve o pão a cozer, numa fase inicial de 30 minutos.
  7. Retire a tampa após esse período, e deixe que cozinhe outros 15  20 minutos, para que o pão ganhe cor e fique crocante.

Retire do lume, e deixe arrefecer, ou não! Eu adoro-o quente.  

IMG_20200120_184701_396.jpg

IMG_20200120_184405_892.jpg

Sex | 17.01.20

Bites de amêndoa (Bolachinhas)

Gualter Rainha

IMG_20200114_230034_294.jpg

IMG_20200114_225721_595.jpg

Esta é uma ótima receita para termos em casa para aqueles dias de desejos por um doce, ou até mesmo por uma bolachinha.

Além de não terem glúten, os ingredientes são um pouco mais saudáveis.

Costumo fazer bolinhas com sensivelmente 20 a 25 gramas, e depois dou-lhes o formato de bolachas.

Para conservar, basta colocar as bolachas num frasco fechado, para não ficarem muito moles.

  • Relativamente aos ingredientes opcionais, ficam ao vosso critério. A curcuma ou açafrão da Índia, vai proporcionar a cor amarela às bolachas.
  • A lucuma sendo um superalimento, é ótima para enriquecer as bolachas em termos nutricionais. É fonte de antioxidantes, ferro e outros minerais, além de que é um ótimo adoçante natural. Caso a utilizem, poderão reduzir um pouco no açúcar. Caso não consigam lucuma, podem fazer sem.

Ingredientes

  • 70 ml de bebida vegetal
  • 1 colher de sopa de farinha de linhaça
  • 200 g de açúcar de coco (ou outro)
  • 500 g de farinha de amêndoa
  • 60 g de óleo de coco
  • Raspa de leio limão

Opcionais (ingredientes)

  • 2 colheres de sopa de lucuma em pó (opcional)
  • Pitada de curcuma em pó (para dar cor)
  • Raspa de leio limão

Instruções

  1. Comece por juntar a bebida vegetal com a farinha de linhaça, para formar tipo um gel. Cerca de 10 minutos antes.
  2. De parte, junte todos os ingredientes secos. Incluindo a raspa de limão.
  3. Misture o óleo de coco, e a mistura de bebida vegetal com linhaça e misture com uma colher. Amasse com as mãos para a misture fique homogénea. Caso queira juntar os restantes ingredientes opcionais, como o açafrão e a lucuma, também os deverá ter incorporado.

Caso a misture esteja ligeiramente seca, junte uma colher de bebida vegetal, até a massa ficar moldável. (eu não precisei)

  1. Dê formato de bolinha à massa. Amasse com a palma da mão, e com um garfo, faça marcas com o seu formado em cima.
  2. Pré aqueça o forno a 180 º C e leve-as a cozer num tabuleiro com papel vegetal durante 12 a 15 minutos.
  3. Deixe arrefecer, para ficarem mais durinhas.

Para conservar, basta estarem fechadas num frasco.

IMG_20200114_230620_970.jpg

 

Seg | 13.01.20

Batata doce purple recheada

Gualter Rainha

IMG_20200113_125736_859.jpg

82259528_2462973444017424_1844080084399423488_o.jp

Esta receita além de colorida, é bastante nutritiva. Temos a batata doce, temos sementes de abóbora, temos a quinoa, temos a levedura nutricional e os bebenifios da curcuma. 

Podem comer enquanto refeição, ou como acompanhamento dependendo da quantidade ou tamanho da batata que farão. Eu comi enquanto refeição mesmo, dado que a quinoa já é uma proteína completa. 

Esta batata foi uma surpresa para mim.  Aqui na ilha de São Miguel, foi a primeira vez que encontrei, e estou rendido tanto ao seu sabor, textura e sua cor vibrante.

Para a batata e recheio

  • 4 batatas doces purple médias (roxas no interior)
  • 300 g de quinoa branca cozida (cerca de 100 g de sementes por cozer)
  • Salsa fresca picada
  • 1 piripiri sem sementes (opcional)
  • Sal e pimenta preta q.b.
  • Fio de azeite
  • Algumas sementes de abóbora

Molho amarelo

  • 150 ml de bebida vegetal (natural sem adoçante ou outra)
  • ½ colher de sobremesa de curcuma (açafrão)
  • 1 C. de café de alho em pó
  • pitada de pimenta preta
  • Pitada de sal
  • 1 colher de sopa de levedura nutricional
  • 1 C. de sopa de polvilho doce (ou amido de milho. Embora o resultado seja diferente)

Instruções

  1. Comece por lavar as batatas e enrole-as em papel de alumínio. Leve-as a assar em forno a 200 °C cerca de 40 minutos.
  2. Cozinhe a Quinoa. Lave-a bem, e junte 2 medidas de água à quantidade da quinoa, com pitada de sal. Proporção 2 para 1, idêntica, à forma que se cozinha o arroz. Depois que absorva a água, desligue e reserve um pouco.
  3. Depois de ter as batatas macias, faça um corte por cima de 3 batatas. Abra-as para os lados de forma a suportarem o recheio.
  4. Da batata restante, remova toda a sua polpa e junte-a à quinoa. Junte salsa picada, sementes de abóbora, tempere de sal e pimenta preta e regue levemente com fio de azeite.
  5. Para creme amarelo, basta envolver todos os ingredientes antes de ir ao lume. Cozinha-se pouco menos de 5 minutos, até a mistura ficar espessa. Pode usar o amido de milho no lugar do polvilho doce, mas o efeito desejado com maior “elasticidade” no molho, perde-se.
  6. Junte um pouco deste molho ao recheio, e envolva tudo de forma descuidada, para não envolver demasiado.
  7. Recheia as 3 batatas com este recheio, e coloque do molho amarelo por cima, e leve-as a gratinar cerca de 15 a 20 minutos em forno a 200 °C.
  8. Antes de servir, pique piripiri e salsa fresca e decore, caso queira.

IMG_20200113_125927_255.jpg

IMG_20200113_125841_326.jpg

Qui | 09.01.20

Taça de quinoa com legumes

Gualter Rainha

IMG_20200109_090849_442.jpg

IMG_20200108_113835_614.jpg

Esta receita, tenho-a como base para aqueles dias que não tenho assim tanto tempo para preparar refeições. Por vezes vario os legumes, ou a leguminosa, e tenho outra refeição pronta.

Gosto muito da textura da quinoa, além disto, não é dificil de se cozer. Para não falar nas suas propriedades nutricionais. É otima porque não contém glúten, faz partes da familia dos pseudocereais, e tem por si só, todos os aninoácidos essênciais, fazendo com que seja uma proteína completa. São só boas razões.

Um truque que habitualmente faço. Cozo um pouco mais de quinoa, e mantenho-a refrigerada por alguns dias no frio, para a ter disponível, de forma a facilitar nos dias que não tenho muito tempo. Pode conservar uns 3 dias no frio, sem problema.

Ingredientes

  • 300 g de quinoa cozida
  • 1 dente de alho esmagado com casca
  • ½ cebola picada
  • Fio de azeite
  • 100 g de feijão branco cozido
  • 1 flor de brócolos
  • 1 cenoura cortada em cubinhos
  • 2 mãos cheias de feijão verde picado
  • Salsa fresca picada (pode usar coentros)
  • Sal e pimenta preta q.b.
  • 1 C. sopa de molho de soja
  • 1 C. sopa de molho inglês
  • Sementes de abóbora q.b.(opcional)

Instruções

  1. Comece por lavar muito bem cerca de 100 g de quinoa por cozer. Depois de bem lavada, leve-a a cozer em 2 medidas de água, com pitada de sal e um dente de alho esmagado. Coze como o arroz. Quando está quase cozida, costumo desligar o lume, e deixo que termine de cozinhar, com o tacho tapado. Reserve.
  2. Comece por lavar e limpar os legumes. Pique a cebola, a cenoura, o feijão e os brócolos.
  3. Leve a cebola e a cenoura a refogar levemente em fio de azeite. Cerca de 3 minutos.
  4. Acrescente os brócolos, e feijão verde. Deixe cozinhar por 5 minutos.
  5. Por fim, acrescente o feijão branco cozido, o molho de soja e o molho inglês, e tempere com sal e pimenta preta. Acrescente também a salsa.
  6. Junte a quinoa cozida e envolva tudo muito bem. Deixe alguns minutos no tacho, mexendo continuadamente, de forma a secar os molhos, e a fundir bem os sabores.
  7. Sirva numa taça, coloque mais salsa picada e sementes de abóbora, caso queira.

IMG_20200109_090705_719.jpg

IMG_20200108_113556_984.jpg