Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cozinha de Sentidos

Sex | 01.04.22

"In Açoriano Oriental" - a propósito das nomeações do meu livro pela Gourmand Awards

Gualter Rainha - Cozinha de Sentidos

276324793_519171313120015_4885892220690705781_n.jp

 

"In Açoriano Oriental ", dia 28-03-2022, a respeito das nomeações do meu livro " Comer Vegetariano Durante uma Semana" na World Cookbook Fair - Gourmand International - Gourmand Awards

Obrigado à Jornalista Ana Carvalho Melo, pela oportunidade da entrevista.

Agradeço também ao Jornal Açores 9, e ao programa Açores Hoje, pelo oportunidade de partilha das minhas rubrícas gastronómicas.

Edição Letras Lavadas

 

Entrevista

"Como se sente ao ter um livro nomeado para estes dois prémios?

Confesso que me apanhou de surpresa, mas sinto-me muito entusiasmado. Estou felicíssimo por ver o meu primeiro livro reconhecido pelos Gourmand World Cookbook Awards, evento considerado por muitos como os Óscares dos livros de cozinha, o maior prémio Internacional dos livros de gastronomia e vinhos. É uma honra para mim receber estas nomeações da Gourmand Awards, e poder representar com muito orgulho os Açores, sobretudo o meu concelho, Vila Franca do Campo, com o primeiro livro de cozinha vegetariano publicado na Região Autónoma dos Açores.

O que motivou a dedicar-se à alimentação vegetariana?

Foram quatro os fatores que me motivaram a dedicar-me à alimentação vegetariana. A ética, a ecologia, a saúde, e uma razão pessoal.

A ética está sobretudo relacionada com o respeito e bem-estar animal, na medida que todos os seres vivos devem ser tratados com dignidade, amor, respeito e compaixão, incluindo os que normalmente vemos nos pratos de comida. Para mim, uma vida é uma vida, e sinto que não tenho o direito de me alimentar disso, com a vida de outros seres vivos, por mais carga cultural que isso possa ter. Além disso, não quero compactuar com indústrias massivas de produção menos éticas, embora reconheça que cada um de nós tem um processo interior próprio e há que compreender que a nossa sociedade precisa de tempo para se habituar a novos costumes, ou hábitos. Neste aspecto, sou bastante compreensivo e flexível com as outras pessoas, porque tudo o que é forçado não faz sentido.  É também importante transmitir que atualmente é um dever nosso sermos mais ecológicos, e a alimentação vegetariana está associada a práticas mais sustentáveis para o planeta, por serem menos poluentes, e saudável por ser uma dieta bastante diversificada e nutritiva.  

Para mim, fez todo o sentido alterar a minha dieta, porque já era uma vontade que eu tinha desde há alguns anos, e só foi possível a explorar e alterar quando passei a viver sozinho.

Tento transmitir tudo isso de forma leve no meu projeto, incentivando as pessoas a introduzir mais refeições vegetarianas no seu dia-a-dia. 

Que mais-valias vê nesta alimentação?

Numa perspetiva mais geral, o vegetarianismo tem impacto positivo na saúde das pessoas quando feita de forma informada e consciente. Além disso, é altamente aconselhada porque previne doenças como as cardiovasculares, uma vez que é uma dieta com menos gorduras saturadas. O índice da diabetes e da obesidade é preocupantes hoje em dia. Antigamente, não se viam crianças obesas em número tão elevado, porque a alimentação era sobretudo à base do que se conseguia produzir nas terras ou em casa. Havia de forma natural muito de vegetariano nas mesas de todos, vegetais, legumes, tubérculos, cereais e as leguminosas eram basicamente a base das dietas. Hoje em dia, com a grande oferta e o maior poder de compra, a saúde das pessoas piorou. A quantidade de carne que se come hoje em dia é desajustada e pouco saudável.

Este tipo de dieta também contribui para a diminuição da pegada ecológica, uma vez que é mais sustentável para o nosso planeta. Por exemplo, precisamos de muito menos terreno para produzir vegetais, cereais, etc., para consumo humano, comparativamente à quantidade de área necessária para alimentar animais. Isso tem impacto negativo em recursos naturais como a água, e consequentemente aumenta a poluição. Cerca de 35 a 40 % do metano que é emitido para atmosfera é produzido pela pecuária e tem um impacto mais devasto que o dióxido de carbano. Isto é apenas um exemplo de muitos que existem.

Outra mais-valia, é desenvolver um gosto especial pela natureza. Com isto não quero dizer que uma pessoa que não seja vegetariana não aprecie, pelo contrário, mas posso garantir que no geral os vegetarianos procuram muito mais a natureza como fonte de inspiração e lazer. É importante haver este equilíbrio, corpo sã e mente sã. A natureza é fulcral nisso, todos nós deveríamos potencializar ao máximo o tempo de qualidade na natureza, sempre que possível.

Aponto ainda como mais-valia o preço das refeições vegetarianas, são mais em conta. É errado dizer que comer vegetariano é caro. As refeições, quando cozinhadas em casa e planeadas, são de facto mais económicas. Claro que se eu comprar processados, refeições pré-feitas, os preços disparam, mas havendo alguma disciplina, o orçamento mensal para a mercearia será menor, sem sombra de dúvida.

O projeto "Cozinha de Sentidos", que nasceu em 2017, de que forma tem contribuído para que mais pessoas cozinhem refeições vegetarianas?

O projeto contribui sobretudo com a partilha e sugestão de receitas que desenvolvo em casa. Confeciono as receitas e fotografo-as, para partilhar nas minhas redes sociais. Posto todas as receitas no meu blogue “Cozinha de Sentidos” e depois partilho-as na minha página de Facebook, Instagram e no Youtube. Quem me segue nas redes sociais tem acesso a esse conteúdo, e incentivo a que reproduza a receita em casa.

Outra forma de contribuir para que as pessoas cozinhem mais refeições vegetarianas é através das rubricas que apresento, uma no programa da RTP, “Açores Hoje”, e a outra no jornal “Açores Nove”. Também sou o produtor e responsável desse conteúdo, desde a apresentação à preparação das receitas.

Em 2017 comecei a organizar uma série de workshops de cozinha vegetariana, que suspendi em 2020 devido à Covid-19. Acredito que vou retomar os workshops no próximo mês de abril. Esta é uma ótima forma para ensinar através da partilha presencial, além de que é sempre um excelente momento de convívio.

O meu livro “Comer Vegetariano Durante Uma Semana”, também permite, para quem gosta de ter receitas em suporte de papel, um recurso físico perene.

Estas são as principais formas que o projeto tem de contribuir, para que mais pessoas cozinhem refeições vegetarianas.

Como é que este livro pode ajudar as pessoas a descobrir esta alimentação?

O livro te um objetivo muito específico, que é transmitir de forma simples como uma pessoa se pode alimentar durante uma semana com a dieta vegetariana.

No livro há sugestões de receitas para uma semana completa, incluindo pequenos-almoços, lanches, almoços, jantares, bebidas e sobremesas, com algumas informações nutricionais simples que devemos ter em conta no dia-a-dia, como, por exemplo, onde podemos encontrar ômega em produtos de origem vegetal sem recorrer ao peixe. Tem ainda algumas dicas importantes a ter em conta na hora que vamos ao supermercado, como o escolher produtos assertivamente, por exemplo, as alternativas vegetais ao leite, como a bebida de arroz, coco, etc.. Quando fortificados com vitaminas como a D e a B12, são uma mais-valia.

Além do que disse acima, as receitas são muito fáceis de preparar, o que ajuda, e são muito coloridas, saborosas, e, de forma geral, económicas. Tenho sempre todos esses fatores presentes. É importante haver sentido prático, confecionar receitas saborosas, e acessíveis a todos no que toca ao custo dos produtos. 

São tudo pontos positivos que fazem do meu primeiro livro um guia para quem pretende aprender a cozinhar vegetariano.

Gualter Rainha"

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.